Software proprietário nos programas do sistema educativo português

Como o novo ano lectivo está quase a chegar, resolvi ir espreitar programas de disciplinas do sistema educativo português que envolvem obrigatoriamente a manipulação de computadores e software. É claro que é possível e desejável utilizar as TIC e a Internet em  todos os níveis de ensino e disciplinas. No entanto, estes programas destacam-se por serem aqueles que recomendam software, que incluem nos conteúdos as questões relacionadas com software e hardware, que, muitas das vezes, são responsáveis pela iniciação ou aprofundamento de hábitos de trabalho que envolvam a utilização de computadores e Internet.

Continuar a ler

A transparência que falta(va) em Portugal

A “Base: contratos públicos online” (www.base.gov.pt) é uma página oficial onde é possível encontrar informação relativa à formação e execução dos contratos sujeitos ao Código dos Contratos Públicos. Uma das possibilidades mais interessantes é a consulta dos dados  relativos aos ajustes directos, tal como previstos no artigo 127.º do Código dos Contratos Públicos (CCP). A intenção, louvável, é promover a transparência na Administração Pública. No entanto, a implementação é, no mínimo, pobre.

Continuar a ler

Alguns mitos sobre o Magalhães

Por um questão de honestidade, devo começar por estabelecer alguns pontos prévios: concordo e apoio medidas que visem disseminar os meios informáticos por toda a sociedade e elevar os níveis globais de fluência tecnológica; não concordo com muitas das opções implementadas nos projectos e-escolas e e-escolinhas.

O meu quotidiano profissional e pessoal permite-me reforçar com regularidade esta convicção na importância dos meios informáticos e redes de comunicação no presente e futuro. Apesar de gostar de ter uma visão mais global sobre estas temáticas, acredito que o país necessita urgentemente de reforçar as suas competências nesta área, sobretudo junto das gerações mais jovens, se quisermos que as nossas crianças e alunos sejam agentes activos nesse futuro. É exactamente porque me situo aqui que discordo de muitas das opções tomadas pelo Governo relativamente aos programas e-escolas e e-escolinhas.

Continuar a ler